Ajuda Mútua Regional

Google Play

Apple Store

 

Manejo de Emergências & Materiais Perigosos

Ajuda Mútua Regional

Por Robert Duval

Merrimack Gas

Pouco menos de um ano depois da destruição de três comunidades do Massachusetts, num incidente sem precedentes, causado por gás natural, oficiais dos bombeiros refletem sobre a importância crítica do comando do incidente e da ajuda mútua regional.

Por ROBERT DUVAL

ESFORÇO DE GRUPO

Cenas da emergência com o gás natural que afetou três comunidades do Massachusetts em setembro 2018, desencadeando uma ampla resposta de ajuda mútua que incluiu centenas de bombeiros, policiais e trabalhadores das concessionárias.

Pouco tempo depois das 16 h de 13 de setembro 2018, no serviço de alarme de incêndios em Lawrence, Massachusetts, começaram a afluir chamadas ao 911, com residentes de toda a cidade relatando incêndios, explosões e um cheiro a gás natural.

Brian Moriarty, comandante do Corpo de Bombeiros de Lawrence, tinha terminado o seu turno e estava organizando um encontro com amigos

CONTEÚDO RELACIONADO
O Fator dos Códigos
As normas da NFPA têm um papel importante no planejamento e gerenciamento de eventos como as explosões de gás de Merrimack Valley

quando recebeu a informação de que havia incêndios por toda a cidade. Ele respondeu ao primeiro incidente do qual teve conhecimento, um incêndio estrutural numa zona da cidade onde muitas casas informavam de problemas com caldeiras, fogões e aquecedores de água alimentados a gás natural. No caminho, novos informes chegavam pelo rádio dos bombeiros do seu carro. Quando chegou ele encontrou um grande edifício multifamiliar que os residentes estavam evacuando. À medida que chegavam mais bombeiros, o rádio continuava relatando mais incêndios e explosões, especialmente na área de South Lawrence. O que está acontecendo? Moriarty se perguntava – teria havido alguma avaria em grande escala do sistema de gás da cidade? Ele sabia que a cidade iria precisar rapidamente de ajuda mútua para lidar com o volume de incêndios e outros incidentes que estavam ocorrendo.

um policial de lawrence

label.figure.spantext
i

Imagen visible - um policial de lawrence

Leyenda de la imagen

GERENCIAR O CAOS Um policial de Lawrence dirige o trânsito enquanto os bombeiros trabalham para apagar um incêndio relacionado com o gás. Mais de 60 incêndios e pelo menos três explosões de gás abalaram as comunidades de Lawrence, North Andover e Andover na mesma tarde. À direita, um homem de Lawrence morreu quando uma explosão numa casa causou a queda duma chaminé sobre o carro onde ele se encontrava. PHOTOS: GETTY IMAGES 

A tarde foi se tornando ainda mais estranha. Enquanto exercia o comando do incidente do incêndio estrutural do prédio multifamiliar, Moriarty Os Numerosrecebeu a informação que nas comunidades vizinhas de Andover e North Andover, situadas em Merrimack Valley, também havia incêndios, explosões e informes sobre um forte cheiro de gás natural. As três cidades se encontram no Condado de Essex, no leste do Massachusetts, e fazem parte dum plano que abrange todo o condado estabelecendo qual deveria ser a resposta dum corpo de bombeiros com base num número crescente de alarmes geradas por um incêndio e outro evento: dois alarmes, três alarmes, etc… até 10 alarmes. Os eventos que envolviam gás nas três comunidades tinham excedido a capacidade do plano de resposta do condado, e os corpos de bombeiros de Andover e North Andover não estavam disponíveis para responder aos alarmes sucessivos em Lawrence. Moriarty devia procurar ajuda em outro lugar.

Ele deu instruções para os despachantes procurarem ajuda mútua de comunidades ao norte de Lawrence, e enviar uma única viatura de combate ao incêndio para cada cena de incidente até que fosse possível obter mais recursos. Ele sublinhou também que era preciso reduzir ao mínimo o tráfico rádio devido ao número de unidades trabalhando simultaneamente em vários incidentes graves. Oficiais dos bombeiros de Andover e North Andover chegavam a mesma conclusão. Michael Mansfield, comandante dos bombeiros de Andover e Graham Rowe, comandante adjunto dos bombeiros de North Andover, conseguiram utilizar algumas das suas opções de ajuda mútua, mas esses ficaram rapidamente esgotados. Enquanto Lawrence procurava ajuda do norte, as outras duas comunidades procuravam ajuda das comunidades do sul.

Foi apenas o início duma longa noite e dum impacto prolongado para os socorristas do trio de comunidades afetadas por aquilo que seria conhecido mais tarde como as explosões de gás de Merrimack Valley e para centenas de socorristas de ajuda mútua que participaram finalmente. Como Moriarty tinha imaginado, e os investigadores determinariam mais tarde, o trabalho numa conduto principal de gás em Lawrence - realizado pela concessionária Columbia Gas Massachusetts – tinha causado um pico de pressão em todos os sistemas de gás das três cidades. O gás foi forçado com uma enorme pressão em todas as residências, empresas e outros edifícios e incendiado pelas chamas dos pilotos dos aparelhos e outras fontes – os residentes relataram terem ouvido assobios sinistros em todo o bairro momentos antes dos edifícios explodirem. Durante as primeiras horas do incidente, Andover registrou 21 incêndios estruturais, com 11 incêndios em North Andover e nove em Lawrence, onde ocorreram também cinco explosões em edifícios. Os incêndios atribuídos a vazamentos de gás dos aparelhos e caldeiras totalizaram 131 em Andover, 55 em Lawrence e 22 em North Andover. Em todas as comunidades afetadas, um civil faleceu: um homem de 18 anos de Lawrence que perdeu a vida quando o veículo onde se encontrava foi esmagado por uma chaminé de tijolos que ruiu na explosão duma casa. Houve um número estimado de 25 feridos, incluindo sete bombeiros – três de Lawrence e dois de Andover e North Andover, respetivamente.

A magnitude do evento enfatizou a necessidade dum plano efetivo de ajuda mútua capaz de mobilizar recursos de participantes locais, regionais e estaduais – e além. Entre os dias 13 e 16 de setembro, recursos de ajuda mútua foram obtidos de Massachusetts (246 recursos de 199 comunidades); New Hampshire (92 recursos); e Maine (um recurso). Finalmente mais de 200 comunidades e forças policiais proporcionaram recursos à área afetada. Os recursos incluíram 180 caminhões autobomba, 68 caminhões magirus e 50 viaturas de comando. Centenas de bombeiros, policiais e empregados da concessionaria de gás responderam a centenas de chamadas nas comunidades afetadas.

Nos meses que seguiram o incidente, os três comandantes concordaram sobre vários pontos essenciais do comando do incidente: solicitar ajuda cedo e frequentemente; manter a disciplina rádio e organizacional; organizar os recursos e colocar pessoas formadas nos postos chave de comando e documentar todos os eventos e pedidos importantes e manter esse registro até o fim do evento. Os três comandantes salientaram a importância essencial dum sistema claramente definido de comando de incidentes, ou SCI, que atribua ao pessoal de combate a incêndio e emergências presente no local a responsabilidade por certas partes do evento. Executado corretamente, o SCI pode agilizar e aprimorar os canais de comunicação, assim como a organização dos recursos essenciais, resultando num gerenciamento mais eficiente e efetivo da emergência.

O papel do SCI no gerenciamento dos incêndios de Merrimack Valley foi essencial para evitar que um evento difícil e complexo se transformasse num evento catastrófico. "O SCI foi utilizado durante todo o incidente," me disse Moriarty numa entrevista semanas mais tarde. "Praticamos o processo nas operações diárias. Tudo funcionou como uma máquina bem lubrificada."

 

 

Quinta feira à noite

Os primeiros minutos caóticos do evento foram ilustrados pela experiência de Dan Rivera, o prefeito de Lawrence, que se encontrava numa capacitação em Boston quando o seu telefone tocou. De acordo com um artigo publicado em março na revista Boston, quem chamava era o comandante da polícia da cidade informando Rivera que havia incêndios em toda Lawrence, assim como em Andover e North Andover. "Nunca vi algo algo assim," lhe disse o comandante da polícia. Rivera deixou a capacitação e saiu com o seu carro dirigindo para o norte rumo a Lawrence, lutando para abrir caminho no trânsito da hora pico.

MERRWidespreadImpactNEW 1

 



 

Imagen visible - moriarty

Leyenda de la imagen

Moriarty

OS COMANDANTES

OS COMANDANTES UTILIZANDO O COMANDO DO INCIDENTE

BRIAN MORIARTY

Comandante do Corpo de Bombeiros de Lawrence

037

"Praticamos o processo de ICS nas operações diárias e foi usado durante todo o incidente de Merrimack Valley

"Uma parte importante do ICS é que o papel que as pessoas assumem são funcionais e não baseados no posto. Tinha oficiais que assumiram papeis de comando que não desempenham normalmente – um tenente estava a cargo dum incêndio em lugar dum oficial de comando. Coloquei um bombeiro paramédico, não um oficial, como encarregado da área de concentração porque sabia que ele tinha o treinamento e as habilidades para fazê-lo sem tolerar disparates das pessoas - e ele fez um trabalho excelente. Os atores mudavam, mas o processo ficou igual durante todo o evento."

GRAHAM ROWE

Comandante adjunto, Corpo de Bombeiros de North Andover

rowe
 

"Como se tratava dum incidente que envolvia maiormente incêndios, os outros socorristas e agências de gerenciamento de emergências que estavam envolvidos atribuíram recursos para ajudar. Com a chegada à cidade das nossas equipes que estavam de folga e de múltiplas agências, estabeleci uma área de concentração na nossa escola secundária. Com a área organizada, o centro de despacho se comunicava diretamente com eles para enviar viaturas aos novos incidentes. Ter todas as agências presentes e ter a possibilidade de compartilhar ideias para implementar as estratégias era muito efetivo.

"À medida que os eventos diminuíam e os incêndios eram controlados, transferi o comando a outro oficial que dirigia as operações em North Andover e fui até o comando regional unificado em Lawrence. Ter a possibilidade de aumentar o número de pessoas na comunidade para um evento como esse tendo minhas equipes conhecedoras do SCI permitiu que o incidente se desenvolvesse de forma tão fluida como possível, sem perda de vidas ou apenas ferimentos menores.

MICHAEL MANSFIELD

Comandante do Corpo de Bombeiros de Andover

mansfield
 
"O centro de operações de emergência em Andover foi ativado nos 30 minutos que seguiram o início do incidente. Todos os chefes de departamento e de divisões da cidade disponíveis começaram a responder ativamente às necessidades do incidente, e a pré planejar as necessidades para a transição do modo de resposta ao modo de recuperação. Essa ação permitiu à cidade responder ao desastre de forma muito mais eficiente e efetiva durante os primeiros sete dias."

 

Durante a mobilização dos recursos, os comandantes da polícia das três comunidades estavam também ativando os seus planos de ajuda mútua - e, da mesma forma que com os bombeiros, esses planos foram rapidamente ultrapassados pelo número dos pedidos de assistência. À medida que os pedidos de ajuda mútua aumentavam, alguns dos recursos que chegavam eram também dirigidos para a área de concentração em Lawrence para dar assistência às unidas de combate a incêndio e emergências médicas.

Enquanto se estabelecia a área de concentração, as comunidades afetadas começavam a entender a magnitude do incidente e aquilo que seria necessário para gerenciá-lo e controlá-lo. À medida que os recursos externos chegavam à área de concentração de Lawrence, os socorristas e as agências do governo – incluindo cantinas, unidades de iluminação, inspetores municipais e um grande número de trabalhadores da concessionaria - começaram a estabelecer um sistema de comando unificado, onde todos os recursos, independentemente de suas tarefas, trabalham sob uma única estrutura de comando para uma meta comum. A partir desse momento os bombeiros, a polícia, os serviços de emergências médicas, as concessionárias assim como representantes dos governos estaduais e locais se reuniam para delegar tarefas e estabelecer planos para responder às necessidades imediatas da região e planejar os próximos períodos operacionais de 12 horas. O posto de comando móvel da Polícia do estado de Massachusetts era usado como centro de comando unificado no estacionamento. Além disso, cada cidade estabeleceu o seu próprio centro de operações de emergência, para responder às necessidades da comunidade.

Ao anoitecer de quinta feira, ainda eram despachadas unidades para responder aos pedidos de ajuda que chegavam à área de concentração de Lawrence. Além disso, equipes constituídas de grupos da polícia, dos bombeiros e das concessionárias eram enviadas aos bairros afetados para garantir a segurança do serviço de gás nos edifícios e residências - mais de 8000 medidores de gás foram inspecionados e fechados. Foi tomada a decisão de cortar o fornecimento de energia elétrica às áreas afetadas como precaução até garantir a segurança do serviço de gás. A perda simultânea dos serviços de gás e eletricidade causou o abandono das casas por muitos residentes – as estimativas falavam de aproximadamente 8600 pessoas deslocadas - e incluíam pessoas que não tinham sido afetadas pela emergência inicial. Equipes percorreram a área durante toda a noite procurando situações de risco, cortando o gás em unidades individuais e controlando as situações perigosas. Serviços de cantina de Massachusetts, New Hampshire e Maine, junto com estabelecimentos locais, foram organizados na área de concentração para alimentar os socorristas. Muitas dessas unidades permaneceram no local durante vários dias.

Sexta, sábado e domingo

A magnitude dos acontecimentos se tornou aparente na manhã da sexta feira quando os incidentes iniciais foram controlados e os levantamentos dos bairros foram completados. Á medida que as respostas de emergência chegavam a níveis quase normais em cada comunidade, as equipes das concessionarias e os inspetores locais e estaduais começaram o trabalho de longo prazo de reestabelecer o fornecimento de gás e eletricidade na região.

Equipes dos bombeiros, da polícia, das obras públicas e inspetores locais e estaduais e as equipes das concessionarias trabalharam todo o fim de semana para realizar um levantamento dos danos e iniciar os esforços de recuperação em toda a região. Os inspetores examinaram o equipamento alimentado a gás e as tubulações associadas em casas individuais e em conjuntos habitacionais e determinaram onde e quando o processo de reestabelecimento do serviço teria lugar. As tubulações ou o equipamento que tiverem sofrido danos eram etiquetados para serem substituídos e o reestabelecimento do serviço não era permitido até se verificar a substituição. Essas equipes realizaram levantamentos e buscas em 5000 casas e residências para determinar os níveis de danos.

Durante as primeiras horas do incidente, oito forças-tarefa de combate ao incêndio estrutural foram mobilizadas para ajudar Lawrence, Andover e North Andover nos esforços de supressão. Nos dias seguintes, outras 11 forças-tarefa de Massachusetts e duas de New Hampshire responderam para dar assistência à área. Os recursos que vieram de mais longe eram da cidade de Southbridge, no Massachusetts, 80 milhas ao sul de Lawrence. As forças-tarefa realizavam períodos operacionais de 12 horas antes de ser substituídos. Em cada período operacional, três forças-tarefa responderam na área. Duas foram baseadas em Lawrence e uma cobriu Andover e North Andover.

A eletricidade foi reestabelecida nos bairros cedo de manhã no domingo 16 de setembro. Mais tarde aquela manhã, várias unidades de forças-tarefa trabalharam junto com unidades do corpo de bombeiros de Lawrence para combater um incêndio de alarme três num complexo residencial em Diamond Street. O dia anterior, Moriarty tinha proposto que os residentes fossem autorizados a voltar aos seus bairros no sábado para ajudar a identificar possíveis problemas relacionados com o surto de gás. "Estávamos preocupados pela possibilidade de um incêndio elétrico se iniciar num aparelho danificado como uma caldeira ou um fogão," ele disse. "Deixar as pessoas voltar significava que estariam em casa para ver ou cheirar algo e nos poderiam chamar logo. E eles poderiam dar-nos acesso às casas que estavam fechadas." Finalmente, contudo, foi tomada a decisão de esperar até o domingo de manhã para permitir o regresso das pessoas. Quando um residente voltou para sua casa no domingo ele encontrou o edifício cheio de fumaça – no fim das contas, o incêndio tinha sido produzido por um cabo num espaço do chão/teto e não por uma caldeira ou fogão danificado. As equipes de inspeção continuaram a percorrer os bairros depois do reestabelecimento da eletricidade para verificar a existência de outros riscos e danos produzidos pelo incidente de sobrepressão de gás e ajudar os residentes que tinham voltado às suas casas. Todos os recursos de ajuda mútua foram desmobilizados até a segunda de manhã cedo. Quando as unidades de serviços de emergências médicas foram liberadas da área de concentração, os espaços que tinham ocupado foram tomados rapidamente pelas equipes das concessionarias e o equipamento de escavação. O trabalho de substituição dos condutos subterrâneas, dos medidores e dos aparelhos levaria meses.

039

Consequências

Uma vez terminada a fase de resposta de emergência, começou a fase de assistência à comunidade. De acordo aplicado mais uma vez um sistema sólido de gerenciamento para permitir o trabalho conjunto de várias agências envolvidas na assistência aos cidadãos e às empresas para reestabelecer uma aparência de normalidade nas suas comunidades.

Nas semanas e meses que seguiram o incidente, por exemplo, as comunidades da região, trabalhando com agências estaduais, estabeleceram abrigos de longo prazo e parques de casas pré-fabricadas e motorhomes para receber milhares de residentes deslocados enquanto se reestabelecia o fornecimento de gás - um processo de seis meses, onde mais de 44 milhas de tubulações subterrâneas de gás deviam ser substituídas, testadas e postas em serviços. O Corpo de Bombeiros de Lawrence destinou veículos de serviço aos parques para proporcionar serviços de combate ao incêndio e emergências médicas durante a ocupação das residências temporárias. No bairro de South Lawrence, o epicentro da emergência com o gás, os bombeiros de Lawrence disponibilizaram duas companhias adicionais com um caminhão autobomba, um caminhão magirus, um adjunto e duas viaturas de busca para detectar cortes de estradas e ajudar a responder às chamadas médicas enquanto se realizava a obra para substituir a rede de gás subterrânea.

Em North Andover, os oficiais dos bombeiros estavam também designando pessoal adicional. Durante a recuperação, o pessoal dos bombeiros se encontrava nas zonas das obras e respondia em lugares onde o acesso rodoviário era limitado devido às obras de substituição da rede de gás. Uma companhia adicional com caminhão autobomba era dedicada aos chamados para incidentes que envolviam gás. Uma zona de habitação de 60 veículos recreativos tinha dois bombeiros/técnicos de emergências médicas permanentes que proporcionavam proteção contra incêndio e emergências médicas.

041

Nas primeiras semanas depois do incidente com gás, membros da Army National Guard do Massachusetts, como parte do esforço de ajuda do estado, distribuíram milhares de fogões elétricos e aquecedores aos residentes que não tinham serviço de gás – apesar de esse esforço ter enfrentado obstáculos. Os inspetores encontraram muitas casas com sistemas elétricos obsoletos ou subdimensionados que não podiam suportar de forma segura a carga requerida para os aquecedores, e foram distribuídos muito menos do previsto. "Se [os inspetores] acham que não é seguro, não entregamos o aquecedor," disse Moriarty ao Boston Globe. "Não queremos empiorar as coisas."

Residentes furiosos ameaçaram com usar aquecedores a querosene, que são ilegais no Massachusetts, mas são vendidos nos estados vizinhos. O gabinete do inspetor de incêndio do estado respondeu com um aviso público dizendo que os aquecedores a querosene não eram permitidos e publicou uma ficha técnica sobre segurança dos fogões e aquecedores elétricos.

Os organizadores do trabalho de ajuda, incluindo a concessionaria de gás, foram obrigados a ser criativos para responder às necessidades dos cidadãos afetados. Para reservar os quartos de hotel para os residentes deslocados, a Columbia Gas of Massachusetts organizou a estadia dum cruzeiro no Porto de Boston para receber centenas de trabalhadores da companhia provenientes de todo o noroeste dos Estados Unidos para completar o trabalho. No dia da Ação de Graças, a concessionária de gás organizou mais de 25000 refeições que foram servidas aos residentes deslocados e aos que não tinham gás para cozinhar.

Apesar do gesto de boa vontade, a Columbia Gas foi amplamente criticada e denunciada publicamente por ter dado os passos que conduziram ao desastre, e pela lentidão do tratamento do evento uma vez que aconteceu. O governador do estado, Charlie Baker, estava tão zangado pela resposta da Columbia Gás que declarou o estado de emergência no dia depois dos primeiros incêndios e colocou outra concessionária, a Eversource, no comando. Três semanas depois do incidente, após uma analise dos documentos internos da Columbia Gas, os senadores do Massachusetts Ed Markey e Elisabeth Warren publicaram uma declaração dizendo que a concessionaria não "considerou de forma adequada a possibilidade da ocorrência dum desastre como esse, não tinha previsto medidas de segurança suficientes para prevenir um desastre e não estava preparada para responder."

As multas impostas pelo estado à Columbia Gas para infrações com gasodutos podem chegar a 100 milhões de dólares. De acordo com relatórios publicados, a Columbia Gas recebeu mais de 23000 reclamações relacionadas com as explosões de gás e os incêndios e em maio a empresa anunciou que tinha chegado a um acordo financeiro de 80 milhões de dólares com Lawrence, Andover e North Andover que permitirá que as comunidades realizem os reparos que faltam. Até o final de 2018, a maior parte do trabalho já tinha sido completada, ficando por substituir unidades de aquecimento em várias centenas de casas depois da temporada de aquecimento de 2018-2019, assim como pavimentar as estradas que tinham sido escavadas durante o trabalho de substituição das tubulações. As estimativas do custo total do evento chegam quase ao bilhão de dólares.

Embora a magnitude e o impacto do incidente de Merrimack Valley não sejam nada comparados com megaeventos como os grandes incêndios florestais, sua complexidade e dinâmica pouco comuns apresentaram aos socorristas um conjunto único de desafios. Não é difícil imaginar o que poderia ter acontecido se as três cidades não se tivessem comunicado entre si e tivessem atuado separadamente, sem implementar o SCI. Uma abordagem independente poderia ter resultado numa duplicação dos pedidos de ajuda mútua, falta de disponibilidade de recursos, sistemas de comunicação sobrecarregados e comandantes de incidentes e oficiais locais igualmente sobrecarregados. Sem um plano de mobilização ao nível do estado, a resposta poderia ter tido aspetos do tipo faroeste; o auto despacho de recursos poderia ter resultado em disponibilidade de tudo ou nada, com a maior parte dos recursos chegando no início e poucos disponíveis mais tarde durante o incidente. Ter planos estruturados, ao nível local e estadual, tornou a resposta a esse incidente muito mais eficiente, aliviando a carga para os socorristas locais e os funcionários do governo – e, finalmente, para os residentes de Merrimack Valley.

ROBERT DUVAL é diretor regional para o noroeste e investigador de incêndios da NFPA.
Share

nós

Quem nós Somos

A National Fire Protection Association (NFPA) é a fonte dos códigos e normas que regem a indústria de proteção contra incêndios e segurança da vida.

Atualizamos nossa política de privacidade, que inclui como são recolhidos, tratados e usados os seus dados pessoais. Ao usar este site, você aceita esta política e o uso de cookies