Harmonia Global de Projetos

Google Play

Apple Store

 

Alarme, Detecção, Notificação & Señalización

Harmonia Global de Projetos

Por Martin H. Reiss, P.E. & James H. Antell, AIA, P.E

O Kingdom Centre em Riad, na Arábia Saudita, e a Torre Jin Mao em Xangai, na China, são dois exemplos de edifícios fora dos Estados Unidos que utilizam códigos e normas NFPA.

Com um número já bastante alto de arranha-céus em todo o país, não é de se esperar que haja um aumento na quantidade desses edifícios a curto prazo nos Estados Unidos. Mas em outras partes do mundo, particularmente na Ásia, as principais cidades e ambiciosos investidores têm sinalizado o claro objetivo de deixar sua marca através de projetos de edifícios monumentais. O desejo de testar limites continuará a se intensificar nos próximos anos, à medida que vários projetos como o Edifício Lotte em Pussan, na Coréia do Sul, e o Edifício Mori, em Xangai, na China, saírem das pranchetas.

Dois dos conjuntos mais prestigiosos do momento, ambos edifícios multi-uso de grande altura, são o Kingdom Centre em Riad, na Arábia Saudita, e a Torre Jin Mao em Xangai, na China, construídos na década passada por arquitetos, engenheiros e construtoras com um único objetivo em mente: criar símbolos monumentais que refletissem a sofisticação, cultura e visão de futuro de seus clientes. Fazia parte desse objetivo ter o mais alto nível de segurança para os ocupantes.

Conseguir um sistema de segurança que atendesse todos os interesses envolveu dois desafios principais para os engenheiros de prevenção de incêndios da Rolf Jensen and Associates, que projetaram os sistemas de proteção contra incêndios dos edifícios: a escolhas dos códigos e normas a serem seguidos no projeto da proteção contra incêndio passiva e ativa, e a determinação das práticas de projeto internacionais necessárias para elevar o nível de segurança.

Selecionar códigos e normas a serem seguidos não é necessariamente uma tarefa fácil. Mesmo que atualmente a economia globalizada esteja exercendo uma tremenda pressão sobre os órgãos públicos para normatizar regulamentações e normas técnicas, os códigos de proteção contra incêndio, os critérios de projetos de sistemas de proteção contra incêndio e as normas de ensaios de produtos, são muito diferentes nos vários países. Felizmente, os códigos e normas da NFPA, que cobrem materiais de construção, sistemas de proteção contra incêndio e critérios de projetos em proteção contra incêndio, são aceitos em muitos projetos na América Latina, Ásia e Oriente Médio. E à medida que mais projetos internacionais passem a envolver equipes provenientes de várias áreas—um arquiteto de Chicago trabalhando com um engenheiro de Londres e um gerente de construção de Riad—os projetistas passarão a harmonizar suas práticas de projeto da mesma maneira que as organizações de normalização estão harmonizando seus documentos. Ambas as tendências estiveram muito evidentes nos projetos do Kingdom Centre e da torre Jin Mao.

O Kingdom Centre
Possivelmente o projeto de construção mais importante realizado na Arábia Saudita nas últimas duas décadas, o recém completado Kingdom Centre integra muitas finalidades, incluindo uma ampla área para lojas, um hotel Four Seasons, área para recepções e conferências inigualável no Oriente Médio e os escritórios corporativos da Kingdom Holding Company. Projetado por Ellerbe Becket, de Minneapolis, nos EUA, o projeto ocupa 96.000 m2 no coração da zona comercial de Riad.

O Kingdom Centre tem três componentes: torre, pódio e subsolo com estacionamentos e áreas de serviços. A torre de 300 m de altura conta com escritórios, um hotel cinco estrelas e 44 apartamentos de luxo, e é um impressionante ícone que pode ser divisado de qualquer ponto em Riad.

Além dos centros bancários, de negócios e de fisioterapia, o pódio de três andares tem um shopping center com as melhores lojas do Oriente Médio, inclusive com um setor somente para mulheres, para que possam comprar e fazer refeições conforme as práticas islâmicas.

A área de recepções e congressos mede 12.000 m2 e pode ser subdividida em 6 salões menores. Complementando o pódio há uma luxuosa academia cobrindo 2.100 m2 e uma área de serviços para os salões e para o hotel.

O estacionamento consiste de três pavimentos no subsolo que também são utilizados como área de serviço, depósito, entregas e administração.

Os códigos e normas da NFPA não são novidade na Arábia Saudita, tendo sido já utilizados em construções militares e industriais no país. Ao utilizar o NFPA 101, Código de Proteção da Vida, entre outros códigos e normas, os consultores em proteção contra incêndio do Kingdom Centre prepararam um projeto-mestre para detectar um incêndio, alertar os ocupantes, funcionários do edifício e o corpo de bombeiros; extinguir ou controlar o fogo antes da chegada dos bombeiros e facilitar a evacuação e resposta dos bombeiros.

O Kingdom Centre é protegido por sprinklers automáticos, que foram projetados, calculados e instalados de acordo com a NFPA 13, Instalação de Sprinklers Automáticos. A predominância é de sistemas de tubo molhado, suplementados por sistemas de pré-ação em áreas onde há preocupação com o dano por água. Nos apartamentos do hotel e na área residencial foram instalados sprinklers de resposta rápida e residenciais.

O sistema de abastecimento de água é formado por bombas para zonas de alta e baixa pressão, conectadas a tanques de armazenagem alimentados pela rede municipal. As bombas atendem a norma NFPA 20, Instalação de Bombas Estacionárias.

Para o combate manual uma rede de hidrantes internos foi projetada e instalada conforme a NFPA 14, Instalação de Hidrantes Internos Privados e Mangueiras. Além disso, extintores manuais foram distribuídos pela propriedade segundo o requerido pela norma NFPA 10, Extintores Portáteis.

Detectores de fumaça conectados à rede elétrica da propriedade, e com baterias de reserva, foram instalados nos apartamentos do hotel e nas residências. Foram instalados também detectores em corredores, salas de máquinas e elétricas, assim como no sistema de ar condicionado conforme requerido pela NFPA 72, Código Nacional de Alarmes contra Incêndio.

Um sistema de alarme microprocessado foi conectado a um serviço de monitoração externo. O sistema é supervisado e endereçável, incluindo alarmes visuais e de voz, sendo desenhado como um sistema stand-alone. É ligado aos sistemas de automação e de segurança patrimonial do edifício, utilizando painéis de controle especiais dos sistemas de extinção de incêndio para controlar fumaça e liberar portas trancadas. Um centro de comando central em uma sala com resistência ao fogo de 1 hora permite que o pessoal de segurança do edifício monitore e controle todas as atividades de emergência.

Sprinklers, que limitam a quantidade de fumaça produzida, são o principal meio de controle de fumaça do complexo. Na torre, o sistema de ar condicionado é projetado para remover ar do andar de incêndio, usando o método de pressurização descrito na NFPA 92B, Sistemas de Gerenciamento de Fumaça em Shopping Centers, Átrios e Grandes Áreas. Isso é feito pela criação de pressão negativa enquanto os andares adjacentes são pressurizados com ar externo, criando um sanduíche de pressão que limita o movimento de fumaça de um andar a outro. Além disso, cada átrio e o shopping center são equipados com sistemas mecânicos de controle de fumaça.

O sistema de evacuação de emergência consiste de escadas enclausuradas e portas que levam ao exterior. Os percursos até as saídas de emergência na torre, shopping center e área de recepções são independentes. Todo o complexo é projetado para evacuação seletiva. Na torre, a evacuação deve ser feita no andar onde está ocorrendo o incêndio e nos andares acima e abaixo dele. O shopping center e a área de recepções devem ser completamente evacuados. E as áreas conectadas por um átrio são evacuadas como uma única zona. O complexo atende aos requisitos de evacuação de emergência do Código de Proteção da Vida.

Há iluminação de emergência e sinalização iluminada em todo o Kingdom Centre. Os sistemas estão conectados a circuitos elétricos de emergência e estão conectados a um sistema de alimentação de emergência projetado conforme a NFPA 70, Código Elétrico Nacional e a NFPA 110, Sistemas de Alimentação de Emergência.

A Torre Jin Mao
Com 421 m de altura, a torre Jin Mao é uma das maiores estruturas do mundo e representa um triunfo da engenharia e arquitetura moderna. Projetada por Skidmore, Owings and Merrill para o Centro de Comércio Exterior China Xangai, Jin Mao lembra os antigos pagodes chineses, retraindo-se suavemente para criar um padrão rítmico ao longo de seus 88 andares. À noite, a torre é iluminada e assemelha-se a um sinal de luz na silhueta de Xangai.

Completada em 1998 e localizada em Pudong, o distrito comercial e financeiro da cidade, Jin Mao é um complexo multi-uso com área de 280.000 m2 consistindo de uma torre de 88 andares e um pódio de 6 andares. Na torre estão o Grand Hyatt Shanghai Hotel e espaço para escritórios, ao passo que o pódio é ocupado por áreas de eventos do hotel, um centro de feiras e conferências, um auditório e uma galeria. As estruturas foram projetadas para resistir terremotos e tufões que podem criar ventos de até 200 km/h.

Os projetistas da torre Jin Mao precisaram estabelecer um nível de segurança contra incêndio consistente com os códigos da República Popular da China e com os códigos e normas norte americanos. Entre os documentos usados encontravam-se vários produzidos pela NFPA, pelo American National Standards Institute (ANSI), American Society of Heating, Refrigeration and Air-Conditioning Engineers e Underwriters Laboratories. Entre esses se incluem a NFPA 13, Instalação de Sprinklers Automáticos; NFPA 70, Código Elétrico Nacional; ANSI 117.1, que trata de acesso de deficientes físicos, e o Uniform Plumbing Code.

Como a altura e tamanho do edifício tornam difícil o combate manual de um incêndio descontrolado, e como a evacuação de todo o edifício tomaria muito tempo, os sistemas de proteção contra incêndio e proteção da vida da torre Jin Mao basearam-se em detecção rápida e extinção, junto com a evacuação seletiva do edifício. A estratégia utilizada foi similar à do Kingdom Centre, optando-se pelo confinamento de fogo a um andar ou a uma área de incêndio, gerenciamento da fumaça para limitá-la ao andar de origem e facilitar a evacuação. Foram criadas na torre áreas de refúgio com ventilação independente compartimentadas com paredes e pisos corta-fogo.

Foram instalados sistemas de dióxido de carbono de baixa pressão em todas as subestações de alta tensão, salas elétricas e salas de geradores. Além disso, a sala de caldeiras e de bombas de transferência de óleo combustível têm sistemas de sprinklers utilizando água e espuma AFFF em um sistema de proporcionamento equilibrado.

Apesar da pressão devido à economia global, não há nenhum único conjunto de normas aceito universalmente. Entretanto, os códigos de consenso pleno da NFPA, incluindo a NFPA 5000, Código de Edificações, se adotado, poderá fornecer ao mundo um conjunto abrangente de regulamentações sobre construção civil e segurança ao fogo.

Quando busca inovações em tecnologia de sistemas de segurança ou técnicas de projeto de sistemas contra incêndio em edifícios altos, o mundo freqüentemente volta-se para organizações norte americanas. A comunidade americana de construtores e projetistas, incluindo as organizações de códigos e normas, continuam a elevar o nível mínimo de exigência, expandindo um impressionante banco de conhecimento sobre a melhor maneira de se proteger edifícios altos muti-uso.

Com um número já bastante alto de arranha-céus em todo o país, não é de se esperar que haja um aumento na quantidade desses edifícios a curto prazo nos Estados Unidos. Mas em outras partes do mundo, particularmente na Ásia, as principais cidades e ambiciosos investidores têm sinalizado o claro objetivo de deixar sua marca através de projetos de edifícios monumentais. O desejo de testar limites continuará a se intensificar nos próximos anos, à medida que vários projetos como o Edifício Lotte em Pussan, na Coréia do Sul, e o Edifício Mori, em Xangai, na China, saírem das pranchetas.

Dois dos conjuntos mais prestigiosos do momento, ambos edifícios multi-uso de grande altura, são o Kingdom Centre em Riad, na Arábia Saudita, e a Torre Jin Mao em Xangai, na China, construídos na década passada por arquitetos, engenheiros e construtoras com um único objetivo em mente: criar símbolos monumentais que refletissem a sofisticação, cultura e visão de futuro de seus clientes. Fazia parte desse objetivo ter o mais alto nível de segurança para os ocupantes.

Conseguir um sistema de segurança que atendesse todos os interesses envolveu dois desafios principais para os engenheiros de prevenção de incêndios da Rolf Jensen and Associates, que projetaram os sistemas de proteção contra incêndios dos edifícios: a escolhas dos códigos e normas a serem seguidos no projeto da proteção contra incêndio passiva e ativa, e a determinação das práticas de projeto internacionais necessárias para elevar o nível de segurança.

Selecionar códigos e normas a serem seguidos não é necessariamente uma tarefa fácil. Mesmo que atualmente a economia globalizada esteja exercendo uma tremenda pressão sobre os órgãos públicos para normatizar regulamentações e normas técnicas, os códigos de proteção contra incêndio, os critérios de projetos de sistemas de proteção contra incêndio e as normas de ensaios de produtos, são muito diferentes nos vários países. Felizmente, os códigos e normas da NFPA, que cobrem materiais de construção, sistemas de proteção contra incêndio e critérios de projetos em proteção contra incêndio, são aceitos em muitos projetos na América Latina, Ásia e Oriente Médio. E à medida que mais projetos internacionais passem a envolver equipes provenientes de várias áreas—um arquiteto de Chicago trabalhando com um engenheiro de Londres e um gerente de construção de Riad—os projetistas passarão a harmonizar suas práticas de projeto da mesma maneira que as organizações de normalização estão harmonizando seus documentos. Ambas as tendências estiveram muito evidentes nos projetos do Kingdom Centre e da torre Jin Mao.

Martin Reiss é presidente e CEO da The RJA Group e ex-presidente do Conselho Deliberativo da NFPA. Jim Antell é diretor de Desenvolvimento de Negócios da The RJA Group, uma subsidiária da empresa que participou dos projetos do Kingdom Centre e Torre Jin Mao.

Share

nós

Quem nós Somos

A National Fire Protection Association (NFPA) é a fonte dos códigos e normas que regem a indústria de proteção contra incêndios e segurança da vida.

Atualizamos nossa política de privacidade, que inclui como são recolhidos, tratados e usados os seus dados pessoais. Ao usar este site, você aceita esta política e o uso de cookies