Incêndios causados por raios

Google Play

Apple Store

 

Artigo selecionado

Incêndios causados por raios

Por Kathleen Robinson

Este ano marca o quinto aniversário do desastre na mina de carvão de Sago, West Virgínia, no qual doze mineiros morreram no incêndio mais mortífero iniciado por um raio nos Estados Unidos em cerca de 40 anos.

As descargas causam danos milionários cada ano.

Este ano marca o quinto aniversário do desastre na mina de carvão de Sago, West Virgínia, no qual doze mineiros morreram no incêndio mais mortífero iniciado por um raio nos Estados Unidos em cerca de 40 anos.

De acordo com a edição de 3 de janeiro 2006 da Charleston Gazettte, a explosão ocorreu cerca de 6:30 da manhã, apenas uma hora depois da abertura da mina. Dos 29 homens trabalhando na mina, um morreu na explosão. Dezesseis conseguiram escapar indemnes, e os 12 restantes, presos por um desmoronamento, se retiraram detrás duma barricada construída aguardando o resgate, de acordo com o relatório de investigação da Divisão de Saúde e Segurança das Minas de Carvão da Administração de Saúde e Segurança das Minas do Departamento do Trabalho dos Estados Unidos (MSHA).

lightning 240x300Cerca de 41 horas depois da explosão, o pessoal de resgate finalmente alcançou os mineiros presos, dos quais apenas um sobreviveu.

O relatório da MSHA nota que a explosão ocorreu a aproximadamente 2 milhas (3.2 quilômetros) da entrada da mina quando um raio atingiu um cabo e segui-o no interior da mina onde incendiou gás metano.

Este foi apenas um dos 24600 incêndios iniciados por raios notificados cada ano pelos corpos de bombeiros dos Estados Unidos nos cinco anos de 2004 a 2008, de acordo com um novo relatório de pesquisa da NFPA, Incêndios Causados Por Raios e Descargas de Raios. Esses incêndios causaram em média 12 mortes civis, 47 ferimentos de civis e 407 milhões de dólares de danos materiais cada ano.

“Embora os incêndios causados por raios representem uma parte relativamente pequena do problema geral dos incêndios, o número é ainda muito grande,” diz Bem Evarts, o autor do estúdio. “É importante que as pessoas saibam isso, uma vez que o raio é usado freqüentemente nas conversas diárias para fazer referência a algo improvável, quando de fato, é muito comum.”

Inútil dizer, que os incêndios iniciados por descargas de raios no fundo duma mina são raros. Em media, 74 por cento dos incêndios causados por raios e reportados aos corpos de bombeiros locais cada ano entre 2004 e 2008 ocorreram no exterior. Os incêndios florestais iniciados por raios queimaram em média 5.5 milhões de acres (2,225,771 hectares) por ano ou 66 por cento dos 8.2 milhões de acres que sofreram incêndios (3,318,422 hectares) cada ano, de acordo com o Centro Nacional Inter-agências sobre os Incêndios. O incêndio florestal médio causado por raios queimou 500 acres (202 hectares), enquanto o incêndio médio iniciado por humanos queimou um pouco menos de 40 acres. (16 hectares).

Apenas 18 por cento dos incêndios iniciados por raios entre 2004 e 2008 ocorreram em residências. Contudo, resultaram em 88 por cento de mortes associadas de civis, 77 por cento dos ferimentos por incêndios, e 70 por cento de danos diretos a propriedade reportados pelos corpos de bombeiros locais cada ano.

As descargas de raios que não causaram um incêndio também são mortais. Em média, mataram 38 pessoas por ano de 2004 a 2008, de acordo com o Serviço Meteorológico Nacional. Somente em 2008, os raios causaram 27 mortes confirmadas e 216 ferimentos confirmados. Quarenta e seis por cento dos mortos por raios se encontravam no exterior numa área aberta.

“Os incêndios exteriores iniciados por raios são muito mais destrutivos em média, em termos de acres queimados, que aqueles iniciados por causas humanas,” diz Evarts.

Não é de admirar que os incêndios causados por raios e as descargas de raios que não resultaram em incêndios sejam mais comuns durante o verão que em qualquer outro momento do ano. Cerca da metade de todos incêndios causados por raios e cerca de três quintos das descargas que não causaram incêndios ocorreram em julho e agosto. E o pico dos incêndios por raios ocorre no fim da tarde ou no início da noite. Um pouco mais de metade de todos os incêndios iniciados por raios ocorreram entre as 3 da tarde e as 9 da noite.

Os estados com mais mortes totais por raios foram Florida, Colorado, Texas, Geórgia e Carolina do Norte, enquanto os cinco estados com maior número de mortes por raio por milhões de população foram Wyoming, Colorado, Florida, Geórgia e Carolina do Norte. Os cinco estados com maior número de relâmpagos por milha quadrada foram Florida, Louisiana, Mississipi, Alabama, e Carolina do Sul.

Como proteger-se contra os raios?
Em primeiro lugar, siga a regra 30-30: quando vê o raio, conte os segundos até ouvir o trovão. Se o tempo foi de 30 segundos o menos, a trovoada se encontra a uma distância não superior a 6 milhas (9.6 km) e é perigosa. Se você pode ouvir o trovão, noutras palavras, se encontra numa zona de possível descarga de raios.

Caso se encontrar dentro da casa, diz Evarts, desligue todos dispositivos e aparelhos elétricos, como computadores, e apague a climatização Se não poder desliga-los, então apague-os. Mantenha-se a distância dos telefones com fio, computadores, e outro equipamento eletrônico que vos ponha em contato direto com eletricidade ou canalizações. Evite lavar-se as mãos, tomar duche, lavar roupa ou loiça.

Caso se encontrar no exterior, suspenda aquilo que esta fazendo no primeiro som da trovoada, e entre dentro duma casa, um edifício grande, ou um veiculo com teto sólido. Caso se encontrar em águas abertas, volte a terra e busque um abrigo imediatamente. Lembre-se, que a ameaça dos raios contínua mais tempo do que você pensa. Espere pelo menos 30 minutos depois do último trovão antes de deixar seu abrigo.

Se não puder chegar a um abrigo e sentir seu cabelo eriçar-se, indicando que o raio está por chegar, agache-se sobre a planta dos pés, e coloque suas mãos sobre os ouvidos e a cabeça entre os joelhos. Torne-se no alvo menor possível e minimize seu contato com o chão. Não se deite no chão.

Se você ver alguém tocado por um raio, chame o 911 e consiga ajuda médica imediatamente. As vítimas de golpes de raios não transmitem carga elétrica, então pode imediatamente verificar sua respiração, latido cardíaco, e pulso.

Os incêndios causados por raios notificados aos Corpos de Bombeiros Locais por Tipo de Incêndio 2004-2008. Médias anuais

  • 4,400 incêndios residenciais mataram 10 civis, feriram 36 e causaram danos por 283 milhões de dólares
  • 1,800 incêndios estruturais não residenciais mataram 1 civil, feriram 6, e causaram danos por 90 milhões de dólares
  • 18,200 incêndios exteriores e não classificados mataram 0 civis, feriram 2, e causaram danos por 33 milhões de dólares.
  • 100 incêndios de veículos mataram 0 civis, feriram 2, e causaram danos por 2 milhões de dólares.
Share

nós

Quem nós Somos

A National Fire Protection Association (NFPA) é a fonte dos códigos e normas que regem a indústria de proteção contra incêndios e segurança da vida.

Atualizamos nossa política de privacidade, que inclui como são recolhidos, tratados e usados os seus dados pessoais. Ao usar este site, você aceita esta política e o uso de cookies