As opções de fechamento seguro não são apenas para os estabelecimentos de ensino

 

Artigo selecionado

As opções de fechamento seguro não são apenas para os estabelecimentos de ensino

Por Kristin Bigda, P.E.

Safe door locking options

Busque na internet o termo “lockdown” e encontrará um grande número de relatos sobre o assunto. Enquanto a maioria dos eventos ocorre em escolas primárias e secundárias (escolas K-12), todos os dias verificam-se situações de lockdown em edifícios com diferentes tipos de usos: residências, colégios, empresas, hospitais. Recentemente, uma manchete destacada assinalou um lockdown no Utica College em Nova Iorque, provocado pela ameaça dum estudante contra o campus; de acordo com uma fonte, os estudantes e os docentes receberam a ordem de abrigo no local enquanto se realizavam buscas no campus. Outros artículos recentes contaram em detalhe eventos de lockdown numa creche, num restaurante e num colégio universitário.

Os procedimentos de emergência variam dum edifício para outro, mas muitos podem envolver agora portas com fechamentos para que os ocupantes possam proceder ao abrigo no local no caso de se determinar um lockdown ou outro tipo de ordem de defesa no local. Já que os atos violentos são cada vez mais freqüentes, as estratégias de evacuação serão reavaliadas e parte dessas estratégias pode implicar o encerramento de ocupantes em certas zonas do edifício para prevenir a entrada não desejada de atiradores ativos ou outros elementos hostis.

A edição 2018 do NFPA 101®, Código de Proteção da Vida, inclui novas provisões nos Capítulos 14 e 15 que autorizam os estabelecimentos de ensino a proceder ao fechamento seguro das portas das salas de aulas contra entradas não desejadas. (Ron Coté descreveu em detalhe a formulação proposta em seu artigo de janeiro/fevereiro 2017 “In Compliance”.) Depois do tiroteio mortal ocorrido em fevereiro numa escola de Parkland, na Florida, a necessidade de segurança e do fechamento das portas se concentrou novamente nos estabelecimentos do ensino primário, um tema que a NFPA tem tratado durante os últimos três anos. Contudo, a mesma necessidade existe também em muitos outros tipos de ocupação.

Em reconhecimento dos eventos passados e admitindo que a necessidade de tomar medidas de segurança adicionais em ocupações como edifícios de escritórios, colégios e universidades é cada vez maior, o Comitê Técnico sobre Edifícios de Uso Comercial e Empresarial acrescentou formulações aos Capítulos 38 e 39 do código para permitir o fechamento das portas contra entradas indesejadas em edifícios de negócios. Essa autorização pode ser aplicada aos espaços de aulas e escritórios nos colégios e universidades assim como a outras ocupações empresariais que foram afetadas por atos violentos no passado. A intenção é que a nova seção se aplique apenas onde sejam necessárias medidas especializadas de segurança para prevenir entradas não desejadas. Os exemplos de portas onde poderia ser aplicada essa nova autorização incluem as portas de colégios e universidades, áreas no interior de espaços de escritório, laboratórios e salas e espaços de ensino.

Com base nas provisões sobre o fechamento das portas das salas de aulas nos Capítulos 14 e 15, as novas provisões para ocupações de negócios permitem o fechamento das portas quando for aprovado pela autoridade competente e se as portas cumprirem uma lista de critérios. Por exemplo, o meio de fechamento instalado deve poder ser engatado sem abrir a porta, garantindo que os ocupantes que tentam fechar a porta possam fazê-lo sem abrir primeiro a porta, o que comprometeria a segurança

A operação de abertura e desengate desde o lado da saída não pode requerer o uso duma chave, ferramenta, ou conhecimento ou esforço especial e o mecanismo de soltura não poder requerer mais de uma operação para abrir a porta. Desde o exterior da sala deve ser possível abrir a porta sem necessidade de usar uma chave ou outra credencial. Na lista dos critérios estão também incluídas as exigências para a altura de montagem do dispositivo de desengate, provisões para destrancar os fechamentos se forem trancados a distância e exigências para seguir os procedimentos corretos em caso de modificação da porta e seus acessórios.

Chegou agora o momento de encontrar a forma de garantir a segurança dos edifícios e seus ocupantes. Não podemos evitar a necessidade patente de fechar as portas e lidar com as questões de segurança em todos os tipos de edifícios, questão coberta pela edição 2018 do código para os edifícios de escritório, colégios e universidades. Os novos requisitos dos Capítulos 38 e 39 representam um passo à frente para alcançar o equilíbrio entre a proteção da vida e a segurança no código. As discussões sobre segurança e proteção (safety and security) tanto para incêndio como para outras emergências continuará sem dúvida quando entrarmos no próximo ciclo de revisão para o desenvolvimento da edição 2021 do NFPA 101 e estou ansiosa por participar do debate.

KRISTIN BIGDA é engenheira principal de proteção contra incêndio na NFPA

Share

nós

Quem nós Somos

A National Fire Protection Association (NFPA) é a fonte dos códigos e normas que regem a indústria de proteção contra incêndios e segurança da vida.

Atualizamos nossa política de privacidade, que inclui como são recolhidos, tratados e usados os seus dados pessoais. Ao usar este site, você aceita esta política e o uso de cookies