Manter quente

Google Play

Apple Store

 

Artigo selecionado

Manter quente

Por Russell P. Fleming, PE

Cumprindo os requisitos de temperatura mínima da NFPA 25 para os sistemas de sprinkler de tubulação molhada.

Cumprindo os requisitos de temperatura mínima da NFPA 25 para os sistemas de sprinkler de tubulação molhada.

Todas as pessoas que lidam com os sistemas de sprinklers antiincêndio sujeitos ao congelamento deveriam conhecer os recentes recentes para lidar com a combustibilidade das soluções anticongelantes.

keepingwarm 200x174Enquanto os Comitês Técnicos da NFPA investigam e lidam com esse tema, dá-se mais atenção a soluções alternativas, como a proteção dos sistemas de tubulação molhada contra o congelamento, colocando de forma adequada a tubulação em espaços aquecidos e isolados do frio.

Os sistemas de sprinkler de tubulação molhada são muitas vezes preferidos em relação aos sistemas de tubulação seca e de preação porque são simples e confiáveis. Contudo, tubulações cheias de água em climas frios devem ser mantidas a uma temperatura mínima de 40ºF. (4.4ºC).

Onde os edifícios são bem isolados e aquecidos, a tubulação do sistema deve ser instalada no envelope isolado. Qualquer isolação que se coloque entre a tubulação de sprinkler e a área aquecida do edifício isola a tubulação do espaço aquecido. Em geral não se recomenda envolver simplesmente a tubulação de proteção contra incêndios com material isolante, porque não faz nada para gerar ou preservar calor.

A nova edição 2011 da NFPA 25, Inspeção, Teste e Manutenção de Sistemas de Proteção contra Incêndio a base de Água, contem uma mudança significativa que se relaciona com a proteção da tubulação de proteção contra incêndio contra o congelamento.

Em edições precedentes, a subseção 5.2.5, “Edifícios”, previa uma inspeção anual para uma adequada proteção contra o congelamento, afirmando que “antes da chegada do tempo das geadas, os edifícios com sistemas de tubulação molhada deveriam ser inspecionados para verificar que as janelas, as clarabóias, as portas, os ventiladores, e outras aberturas e cerramentos, espaços cegos, sótãos não utilizados, caixas de escadas, espaços edificados no teto e espaços baixos por baixo dos edifícios não exponham as tubulações cheias de água ao congelamento e verificar que a temperatura seja adequada [mínimo 40ºF (4.4ºC)].

O Parágrafo 4.1.1.1 Da nova edição substitui essa formulação, dizendo simplesmente, “O proprietário do edifício deverá garantir que todas as áreas do edifício que contenham tubulações cheias d’ água serão mantidas a uma temperatura mínima de 40ºF (4.4ºC) e não expostas ao congelamento.”

Essa nova formulação esclarece que manter quente o sistema de sprinkler não é algo que pode ser verificado uma vez ao ano, mas deve ser feito durante todo o inverno.

Demasiadas vezes, a inspecção requerida antes do início do tempo das geadas confundia-se com a inspeção dos sistemas de proteção contra incêndio realizadas por empresas contratadas. A nova norma esclarece agora que as inspeções do sistema são verificações dos sistemas em si cujo objetivo é verificar que os sistemas estão operacionais e não apresentam danos.

Os proprietários dos edifícios conhecem as diferentes atividades de manutenção que podem ter um efeito adverso sobre o envelope isolante dum edifício. Por exemplo, a instalação de iluminação exterior pode remover a isolação das goteiras do edifício. A colocação de cabos elétricos ou a modificação de outros sistemas de tubulações podem resultar em orifícios abertos em tetos isolados ou espaços ocultos nos quais a NFPA 25 não requer que os inspetores dos sistemas verifiquem nem os sprinklers nem as tubulações.

Em geral, a maior ameaça ao envelope isolante dum edifício resulta de reparações e alterações do edifício realizadas durante o tempo quente, quando as perspectivas de congelamento parecem tão remotas.

A mudança da edição 2011 da NFPA 25 não significa que a verificação da integridade térmica já não seja importante. Esclarece simplesmente que o proprietário se encontra na melhor posição para realizar essa verificação que deveria ser contínua, e não um evento único uma vez ao ano.

Russel P. Fleming, P.E., é vice-presidente executivo da National Fire Sprinkler Association

Share

nós

Quem nós Somos

A National Fire Protection Association (NFPA) é a fonte dos códigos e normas que regem a indústria de proteção contra incêndios e segurança da vida.

Atualizamos nossa política de privacidade, que inclui como são recolhidos, tratados e usados os seus dados pessoais. Ao usar este site, você aceita esta política e o uso de cookies