Ciência perigosa
      Perdeu o acesso?  

 

Ocupações Institucionais/Culturais

Ciência perigosa

Por Andrew Minister

ciencia insegura

As demonstrações em aulas de ciências que têm resultados desastrosos se tornaram frequentes nas escolas e outros estabelecimentos de ensino em todo o país.

Em todo o país, os estudantes nas salas de aulas de ciências e outros laboratórios sofrem queimaduras e ferimentos causados por acidentes durante as demonstrações de ciências. Contudo, a NFPA 45 tem por objetivo eliminar essa tendência, com novas exigências que tratam das responsabilidades dos instrutores, o manuseio e armazenamento dos químicos e os controles da execução das demonstrações.

Em todo o país, os alunos nas salas de aulas de ciências e outros laboratórios sofrem queimaduras e ferimentos causados por acidentes durante as demonstrações de ciências. Durante os últimos 15 anos, de acordo com relatos da mídia, um grande número de alunos sofreu ferimentos ou queimaduras numa série de incidentes que ocorreram durante essas demonstrações; o número real de incidentes, assim como o número de alunos que sofreram ferimentos, é provavelmente muito mais alto. Muitos dos alunos lesionados sofrem queimaduras de segundo ou terceiro grau em suas caras e na parte superior do corpo. As queimaduras são muito dolorosas, a recuperação é longa e causa sofrimentos durante meses ou anos e as vítimas podem ficar toda a vida com cicatrizes físicas e mentais.

Em setembro passado, por exemplo, treze pessoas, a maioria crianças, sofreram ferimentos durante uma demonstração de ciências no Terry Lee Wells Nevada Discovery Museum em Reno, Nevada. Autoridades e funcionários do Museu disseram que uma mistura de álcool metílico e acido bórico – componentes duma demonstração de rotina realizada cada dia que cria um efeito de turbilhão do tipo “tornado de fogo” - explodiu num fogo repentino, queimando os assistentes nas mãos, braços e caras.

Doze dias depois do incidente de Reno, o U.S. Chemical Safety Board (CSB) publicou uma declaração do Presidente Rafael Moure-Eraso alertando sobre os perigos de fazer demonstrações com líquidos inflamáveis perto dos estudantes – no mesmo dia quatro alunos foram queimados numa demonstração de ciências numa escola secundária em Denver, Colorado. Pelo menos cinco eventos adicionais ocorreram desde setembro passado onde estudantes sofreram queimaduras e ferimentos por demonstrações de ciências. Um dos mais recentes ocorreu na Florida em maio, quando dois alunos duma escola secundária foram internados no hospital depois duma demonstração realizada por um professor na aula de química avançada (AP class).

Cada um desses eventos poderia ter sido evitado. Com essa meta em mente, foram introduzidas mudanças na NFPA 45, Norma para a Proteção Contra Incêndios em Laboratórios Químicos, com a ideia de eliminar esses riscos das salas de aulas e outros laboratórios. O número de eventos que estavam ocorrendo, mostraram ao comitê sobre Laboratórios Químicos, responsável pela NFPA 45, que a norma precisava de requisitos para uma maior proteção dos estudantes nos laboratórios onde se realizam demonstrações. Um grupo de trabalho preparou as exigências para a edição 2015 da NFPA 45, que foi publicada em novembro passado. Aproximadamente na mesma época, o CSB publicou um comunicado de segurança, “Lições Chave para Prevenir Incidentes Derivados do uso de Químicos Inflamáveis nas Demonstrações Escolares” [ver “Prioridade Absoluta,” na página ao lado]. Aplicando os requisitos da NFPA 45 e as lições fornecidas pelo CSB e agindo com cautela e bom senso nos laboratórios, as escolas e os professores podem prevenir esses incidentes que causaram ferimentos e traumas a centenas de estudantes.

prioridadeabsoluta

A atração do sensacional

As histórias de estudantes queimados em incêndios em laboratórios não são novas, mas uma série de incidentes muito publicados que ocorreu nos últimos anos criou uma nova consciência do problema.

Em 2006, três estudantes ficaram feridos numa explosão de metanol durante uma demonstração de química numa aula duma escola secundária no Ohio. (After the Rainbow, um vídeo produzido em 2013 pelo CSB, se concentrou numa das estudantes, Calais Weber, que sofreu queimaduras em 40% do corpo e passou mais de dois meses hospitalizada numa unidade de tratamento de queimados). Outro incidente ocorreu em 2011, quando quatro estudantes duma escola secundária Junior no Minnesota sofreram queimaduras numa demonstração de ciências. “Minha cara estava literalmente em chamas”, disse um dos alunos feridos à estação de televisão local. O aluno disse que a demonstração deu errado quando o professor “pegou num jarro de metanol e largou um fósforo lá dentro”. “É a ultima coisa que eu lembro.” O CSB sublinhou a questão da segurança nos laboratórios num vídeo de segurança de 2011 chamado Experimenting with Danger, relatando que pelo menos 150 estudantes tinham sofrido ferimentos graves em acidentes em laboratórios escolares nos últimos quatro anos.

Entende-se que os professores queiram tornar o ensino das ciências divertido e estimulante e os professores de química em particular perpetuaram uma longa tradição de demonstrações sensacionais envolvendo o fogo. Quando se realiza esse tipo de demonstração, os estudantes, que são naturalmente curiosos, querem ver os acontecimentos de perto e eles se juntam em volta da bancada para ver as mudanças que estão ocorrendo. Na maioria dos incidentes onde estudantes sofrem ferimentos, não há barreira de proteção. Os professores muitas vezes não exigem que os estudantes usem Equipamento de Proteção Individual (EPI) como óculos de segurança e avental durante essas demonstrações, apesar de esse equipamento ser obrigatório durante o trabalho de laboratório dos alunos. Muitos professores não estão bem treinados para os procedimentos de segurança nos laboratórios.

Muitas vezes existem grandes quantidades de álcool no local. Muitos desses eventos têm sido relacionados ao uso de álcool metílico (metanol), um líquido altamente inflamável que queima com pouca chama visível e muitas das demonstrações envolviam garrafas de metanol de um galão. Os incidentes ocorrem quando a demonstração não corre conforme o planejado pelo professor ou quando os estudantes querem ver a demonstração de novo. Abre-se uma garrafa de metanol para deitar mais líquido num prato ou numa proveta que contém uma chama ativa; a chama acende o vapor de metanol e o fogo volta para a garrafa, projetando o metanol em chamas fora da garrafa e sobre os estudantes presentes. Embora outros tipos de incidentes em laboratórios de ciências causem queimaduras, exposição a inalações químicas e outros ferimentos aos estudantes e professores, a proximidade de estudantes não protegidos em demonstrações com fogo resultam muitas vezes nos piores acidentes em termos de número de estudantes envolvidos e da gravidade dos ferimentos.

Os novos requisitos do Capítulo 12 da NFPA 45 são retroativos para todas as escolas e se aplicam à realização de demonstrações de ciências utilizando materiais perigosos. Os requisitos incluem as responsabilidades dos instrutores, o manuseio e a armazenagem dos químicos e o controle da realização das demonstrações. Os requisitos abaixo são similares aos que o CSB recomendou em outubro passado.

>> Os professores devem realizar uma avaliação de risco antes de executar cada demonstração. A avaliação identificará os riscos associados à demonstração, as práticas prudentes necessárias para minimizar o risco, o EPI necessário para a demonstração e os procedimentos de emergência. Os professores devem ser treinados e ter conhecimentos sobre os procedimentos de segurança contra incêndios, procedimentos de emergência da escola, uso apropriado do EPI e como realizar a avaliação de risco. Os professores devem treinar seus estudantes anualmente em relação aos planos de emergência da escola e os planos de prevenção de incêndios, incluindo os procedimentos para extinguir os incêndios da roupa.

>> Os requisitos para manusear e armazenar os químicos nos laboratórios escolares incluem guardar e manusear quantidades volumosas de químicos num quarto separado fora da sala de aulas. Os químicos que serão usados na sala de aulas devem ser preparados antes da chegada dos estudantes e distribuídos com antecedência em contêineres selados ou frascos com conta gotas na quantidade necessária para cada demonstração. Os químicos que não são usados devem ser guardados em gabinetes fechados adequados.

>> As demonstrações que envolvem chamas abertas, fogo ou o uso de químicos inflamáveis, reativos, tóxicos ou corrosivos devem ser realizados com uma barreira ou uma separação adequada entre os alunos e a demonstração. As demonstrações que produzem quantidades perigosas de gás, vapor, fumaça ou particulados devem ser realizadas debaixo duma coifa para vapores químicos ou com outros tipos de ventilação que protejam os alunos do perigo. Muitos vendedores de laboratórios fornecem coifas para demonstrações que envolvem vapores químicos e compartimentos que permitem que os alunos assistam às demonstrações sem estarem expostos ao risco. Outras demonstrações realizadas em bancadas devem ser executadas atrás duma barreira transparente ou com uma separação de pelo menos 10 pés entre os alunos e a demonstração. Estão disponíveis coifas/compartimentos e escudos de proteção mais baratos que permitem aos estudantes observar as reações químicas sem estarem expostos ao risco se algo correr mal.

>> Para que os alunos possam sair rapidamente do laboratório, as demonstrações devem ser realizadas num local que permita o livre acesso às saídas do laboratório.

É um fato conhecido que muitos distritos escolares no país operam com orçamentos muito limitados e não podem custear novo equipamento para seus laboratórios e proporcionar o treinamento necessário aos professores. Embora seja importante reconhecer essas limitações, não podemos permitir-nos de queimar mais estudantes em demonstrações de ciências. Esses acidentes podem ser prevenidos. Existem muitas organizações que fornecem materiais de treinamento baratos e programas de segurança para os projetos de ciências das escolas, incluindo o Laboratory Safety Institute (LSI), uma organização internacional de educação sem fins lucrativos para a segurança dos laboratórios, que fornece às escolas treinamento de segurança em laboratórios e materiais de referência a baixo custo. O comitê sobre Laboratórios Químicos trabalhou com o LSI para rever os requisitos da NFPA 45.

Os novos requisitos da NFPA 45 só serão efetivos se a norma for adotada pelo estado e os corpos de bombeiros locais. Se a NFPA 45 não for adotada na totalidade, devem ser adotados pelo menos os requisitos dos Capítulos 6, 11 e 12 da NFPA 45 para introduzir práticas seguras em todos os laboratórios, especialmente para os shows de mágica, demonstrações e atividades de laboratório nas escolas K-12. Depois de adotar a NFPA 45, os chefes de bombeiros, os inspetores de incêndio e os professores de ciências devem receber treinamento sobre os novos requisitos para aprimorar a segurança das demonstrações nos laboratórios.

Trabalhando juntos para implementar esses controles de segurança, seremos capazes de proteger nossos estudantes dos ferimentos graves em caso de um acidente que envolva líquidos inflamáveis ou químicos perigosos. Não há razão para que os estudantes sofram queimaduras enquanto assistem às demonstrações de ciências.

Andrew Minister é engenheiro chefe de proteção contra incêndios no Pacific Northwest National Laboratory em Richland, Washington, e presidente do comitê da NFPA sobre Laboratórios Químicos.

Recursoslaboratorio

Share

nós

Quem nós Somos

A National Fire Protection Association (NFPA) é a fonte dos códigos e normas que regem a indústria de proteção contra incêndios e segurança da vida.