Normas de Segurança Patrimonial
      Perdeu o acesso?  

 

Outros

Normas de Segurança Patrimonial

Por Richard Bielen

Após diversas tentativas, a NFPA renovou seu interesse na elaboração de uma norma que trate das instalações de sistema de segurança patrimonial.Após discussão prolongada sobre o âmbito e a responsabilidade da comissão, a NFPA finalmente passou a elaborar uma norma muito necessária de segurança, projetada para tratar da instalação e manutenção dos sistemas de segurança patrimonial das edificações.

O projeto, cancelado, novamente apresentado e aditado durante os últimos seis anos, foi aprovado pelo Standards Council (Conselho de Normas) da NFPA e a Premises Security Technical Committee (Comissão Técnica de Segurança Patrimonial) deve iniciar o desenvolvimento do texto base.

O Technical Committee on Premises Security realizou sua primeira reunião em 5 de junho, em Baltimore, Maryland. Após a discussão dos prós e contras de um código de segurança patrimonial em comparação com uma norma de instalação, a comissão votou em favor desta última. Agora a comissão encontra-se no processo de desenvolvimento do esboço da norma, levantando e analisando materiais de apoio, como, por exemplo, normas de segurança patrimonial existentes.

Pode levar um a dois anos para concluir o texto base, embora seja concebível que fique pronto mais rapidamente se os membros da comissão chegarem a um consenso antecipado sobre a direção do projeto. Após a liberação do texto base, levará aproximadamente dois anos para conclusão do ciclo e apresentação da norma para adoção.

A nova norma deve cobrir instalação, teste e manutenção de sistemas de segurança patrimonial física e tratar esses fundamentos como determinações comuns do sistema, suprimentos de energia, fiação, documentação, detecção, controle de acesso, transmissão de sinais, comunicação por voz, vigilância e avaliação por vídeo, sistemas de segurança integrados e outras características de segurança física.

Histórico do projeto
O Standards Council da NFPA definiu, em primeiro lugar, um Projeto de Alarmes contra Roubo/de Segurança Patrimonial em julho de 1994 e o Conselho da Diretoria aprovou-o em dezembro de 1994. Entretanto, o conselho reconsiderou a decisão em março de 1995 e diferiu a implementação do projeto na dependência de dados mais amplos. Após a solicitação e a avaliação dos dados, o Conselho votou em julho de 1995 pela suspensão do projeto pois parecia não haver muito interesse.
Posteriormente naquele ano, as seguradoras solicitaram à NFPA que definisse uma norma de Segurança Patrimonial em Edifícios. A ação final sobre esse projeto recém proposto foi diferida até a discussão em painel na Reunião de Outono de 1995 em Chicago e o Conselho votou contra o projeto em janeiro de 1996 pois não havia consenso claro.

Nos três anos seguintes, o projeto ficou adormecido até que o Standards Council reconsiderasse a solicitação em junho de 1999. Logo em seguida o Conselho anunciou sua intenção de dar continuidade ao Premises Security Project (Projeto de Segurança Patrimonial). Novo impulso surgiu quando o Conselho da Diretoria solicitou à NFPA que desenvolvesse um plano detalhado para a integração das normas e códigos da NFPA em um conjunto completo de códigos para o ambiente construído.

Após a análise dos comentários públicos sobre o Premises Security Project, o Standards Council votou em abril de 2000, para reafirmar sua decisão de dar continuidade ao projeto e aprovou o âmbito para a Premises Security Project Technical Committee em julho de 2000, dando-lhe responsabilidade pelos documentos sobre o programa global de segurança para a proteção dos estabelecimentos, pessoas, propriedades e informações específicas para uma ocupação particular.

Detalhes do documento
O Conselho visualizou que a comissão deveria desenvolver documentos com base na ocupação semelhantes à NFPA 101, Life Safety Code. Não deveria conter quaisquer exigências de instalação, embora apresentasse referência de documentos adequados de instalação. O documento da NFPA que cobre a instalação dos sistemas de segurança seria a NFPA 72, National Fire Alarm Code, que, historicamente, tratou de sistemas de segurança e de alarmes de incêndio integrados do ponto de vista da manutenção de alarmes de incêndio. Foi indicado um grupo tarefa para analisar as normas existentes de instalação industrial para sistemas de segurança patrimonial e recomendar uma estratégia para a Technical Correlating Committee da NFPA 72.

Entretanto, a postura do Standards Council sobre a proposta de um documento baseado em ocupação foi modificada em sua reunião de outubro de 2000. Na medida em que a reunião progrediu, o Conselho determinou que o desenvolvimento dessa norma como documento baseado em ocupação era prematuro e que uma norma baseada na ocupação deveria ser desenvolvida apenas após a elaboração de norma aceita pela indústria para a instalação de equipamento de segurança dos estabelecimentos, de preferência por uma única comissão.

Conceitualmente, a norma de segurança patrimonial proposta poderia ser semelhante à NFPA 72, uma norma de instalação não baseada em ocupação.

Criação de projeto autônomo
Em 15 de janeiro de 2001, a Technical Correlating Committee on Signaling Systems' Task Group on Security reuniu-se com o presidente da Premises Security Technical Committee e outras pessoas para discutir os rumos do novo projeto. O principal entre as recomendações era o projeto de segurança patrimonial que deveria ser autônomo e que não fizesse parte do âmbito da
Committee on Signaling Systems for the Protection of Life and Property.

Além disso, o grupo aconselhou que o projeto de segurança deveria desenvolver uma norma, não uma prática recomendada, e que a Premises Security Technical Committee deveria ser responsável pelo desenvolvimento da norma de instalação, cobrindo instalação, teste e manutenção dos sistemas de segurança.

Essas recomendações serão apresentadas à Technical Correlating Committee on Signaling Systems e ao Standards Council, que votou no último mês de janeiro pela expansão do âmbito da Premises Security Technical Committee para incluir a responsabilidade pelas normas de instalação.
Parece, agora, que o Standards Council e os membros do grupo tarefa estão de acordo quanto ao âmbito, método de desenvolvimento e forma proposta da nova norma. A etapa seguinte é começar o desenvolvimento do próprio documento.

O projeto de segurança patrimonial deve desenvolver uma norma, não uma prática recomendada e a Security Technical Committee deve ser responsável pelo desenvolvimento da norma de instalação.

Richard P. Bielen, P.E., engenheiro chefe de aplicações e sistemas da NFPA e elemento de ligação de pessoal para diversas comissões técnicas da NFPA

Share

nós

Quem nós Somos

A National Fire Protection Association (NFPA) é a fonte dos códigos e normas que regem a indústria de proteção contra incêndios e segurança da vida.